quarta-feira, 29 de abril de 2015

Como escolher o apartamento ideal? 7 dicas de arquiteta

Seja (chato) exigente na hora de comprar o seu apartamento (para o desespero do seu corretor!).

Confira as dicas da arquiteta Ketlin Montanari para identificar um ambiente com qualidade arquitetônica e descubra que, do ponto de vista de um arquiteto de edifícios residenciais, isso vai muito além de tamanho e distribuição de ambientes.

1. Sol da manhã nos quartos

Esta é a primeira questão básica. Um quarto que receba o sol da tarde (na janela ou nas paredes) será mais quente durante a noite, e um quarto voltado a sul que não recebe sol em nenhum momento do dia não é saudável, pois está mais suscetível ao desenvolvimento de fungos e ácaros. O sol da manhã é o ideal para este ambiente da casa.

2. Evitar apartamentos cujo sol entre 15h00h e 18h incida diretamente sobre paredes/aberturas grandes, porque isso aquece muito o ambiente. Se você deixar o apartamento fechado durante o dia e voltar para casa ao final do dia, sentirá a necessidade de ligar imediatamente o ar condicionado, porque o calor de todo esse período permanecerá na casa. Situação ideal: área social com aberturas grandes de orientação sul/sudeste (sem incidência direta de sol/ incidência leve de sol da manhã).
Pergunta: Posso resolver isso colocando uma cortina black-out para evitar a insolação direta no apartamento?
Resposta: Qualquer cortina ou persiana do lado de dentro não evita o calor de entrar no apartamento. Uma proteção solar efetiva neste caso precisa ser externa à abertura de vidro, como venezianas, persianas externas, brises, etc.
O brise vertical é a solução ideal para barrar o sol da tarde, pois faz isso sem barrar a visão externa e sem escurecer tanto o ambiente. (fotos: pesquisa na internet)















Outra solução interessante é o brise vegetal, que melhora o clima de áreas que recebem sol da tarde, para aplicar em janelas ou paredes cegas. Alguns possuem inclusive irrigação automatizada. (fotos: pesquisa na internet)

3. Venezianas/persianas externas nas aberturas - Qual a ideal?

(imagem: pesquisa na internet)
Há muitos apartamentos com venezianas de alumínio ou PVC nas janelas dos quartos. O exemplo da esquerda limita muito a iluminação do ambiente, porque só permite abertura da metade do vão. O ideal para este tamanho de janela é a persiana horizontal externa, que permite a abertura total do vão de vidro. Elas podem ser de alumínio, PVC, madeira, etc. Menos comuns e mais antigas, algumas venezianas são de correr verticais e se abrem para além do vão de abertura, proporcionando também a abertura total do vão.

4. Ventilação cruzada

Pergunta: O que é ventilação cruzada?
Resposta: É quando o vento entra por uma abertura da unidade e sai por outra abertura da mesma unidade, e vice-versa, tornando o ambiente arejado e saudável.

Exemplos mais comuns de apartamentos (desenho/foto: Ketlin Montanari)
Se o apartamento possui 2 faces voltadas ao exterior (exemplo 2), você sentirá a ventilação cruzada. Se o apartamento possuir 3 faces voltadas ao exterior (exemplo 1), a ventilação cruzada será ainda mais efetiva, é o caso ideal. Esse tipo de situação temos em prédios com 2 ou até 4 apartamentos por andar.
Porém, em muitos casos de apartamentos menores, a unidade possui apenas 1 face voltada ao exterior (exemplo 3). É o que acontece em prédios com 6 ou mais unidades por andar, cujas unidades do meio da torre geralmente possuem apenas uma face externa.

A solução para esse tipo de apartamento é possuir aberturas amplas e ter pouca profundidade na direção do miolo do prédio, possibilitando assim que o ar se renove mesmo sem ventilação cruzada. Veja os exemplos:

Exemplo "A" (imagem: Montanari Arquitetura/ Obvio Digital Rendering)
Exemplo A: No edifício Villa Verde projetado por Montanari Arquitetura, atualmente em construção, temos aberturas amplas e pouca profundidade na direção do "miolo" do prédio.

Exemplo "B" - deficiência de ventilação e iluminação (imagem: folder impresso de construtora)
Exemplo B: Neste exemplo, a profundidade é muito maior na direção em que não temos aberturas, fazendo com que o ar não se renove tão facilmente. O ambiente com asterisco (sala) é o mais prejudicado, tendo deficiência inclusive na iluminação, por ser tão profundo e estar tão longe das aberturas. É um apartamento muito grande para ter apenas uma face externa; é algo que não funciona bem.

Finalizando a questão de ventilação cruzada, deve-se observar que nem todo apartamento com 2 faces externas terá essa ventilação, já que fatores externos também influenciam, como a altura do apartamento (quanto mais alto, maior a ventilação natural) e a posição de prédios vizinhos, quando muito próximos.

5. Paredes dos vizinhos

Outra questão importante de qualidade projetual; observar a planta baixa do pavimento tipo para saber se existe alguma situação desconfortável, como:

- A parede do quarto gemina com a parede da área de serviço ou cozinha do vizinho (quando a máquina de lavar estiver ligada ou ele estiver lavando a louça, vai prejudicar seu descanso);
Situação desconfortável: Quarto divide parede com área de serviço do apartamento vizinho (imagem: folder impresso de construtora)
- A parede do quarto gemina com a parede do elevador (também é possível ouvir barulho, principalmente se for um andar alto próximo à casa de máquinas);
- A parede do quarto gemina com a parede do home theater do vizinho;
- A parede do quarto principal gemina com a parede do quarto principal do vizinho. O ideal é que, se possível, os quartos geminem paredes apenas com a própria unidade à qual pertencem.

6. Dinâmica urbana da região

Proximidade com mercados, padarias, comércio, transporte... A finalidade disso não é apenas a sua comodidade de poder resolver várias coisas sem precisar sair de carro.

Segundo Jane Jacobs em Morte e Vida das Grandes Cidades, quanto mais olhares uma rua recebe, mais segurança ela terá. Uma rua com pouco movimento e mais tranquila também é menos segura, por isso o movimento e envolvimento de pedestres na região do prédio é importante. Isso acontece em ruas com diversidade de ocupação, com comércio no térreo de prédios residenciais, por exemplo. Outro bom exemplo de rua é a que não possui muros tão altos e opacos.
Em uma rua tranquila, é importante que haja elementos de dinâmica urbana, como comércio ou parques/praças públicas iluminadas que sejam utilizados pela vizinhança. Assim, haverá a interação humana que torna as ruas mais seguras. Muitas cercas elétricas e muros altos são soluções emergenciais para locais aonde a dinâmica urbana é deficiente e você não se sentirá seguro ao andar pela região. (Imagem: Montanari Arquitetura/ Obvio Digital Rendering)

7. Exija arquiteto!

Procure saber quem projetou o edifício. Arquitetos costumam ter consciência de todas as questões listadas acima (e muitas mais) ao projetar um edifício.

Além destas dicas, é claro que há mais questões a serem levadas em consideração ao escolher um apartamento: se há infiltrações, se é possível instalar ar condicionado split, o estado de conservação do edifício, se há tomadas suficientes, se cabe tudo o que você precisa e na configuração ideal, etc.

Se você ficar na dúvida e quiser auxílio profissional para tomar a decisão, pode contratar consultoria de um arquiteto, ao valor de hora técnica.


Nenhum comentário:

Postar um comentário